O que é e pra que serve o Inbound Marketing

Final de ano é sempre uma época de reflexões, pessoais ou corporativas. É o momento em que colocamos na balança o que deu certo e errado para que, no ano novo, possamos conseguir mais sucesso e evitar erros.

Nessa toada, vi muitas empresas querendo entender melhor o que é Inbound Marketing, se isso é de comer ou de passar no cabelo (como diria a Michele), “como faz pra ter Inbound Marketing” e se esse é um processo viável para todas as empresas (inclusive micro e pequenas), se é uma boa ideia para 2015.

Por isso, segue aí nesse dia cheio de sol um “dossiê” do Inbound Marketing para que você possa entender se sua empresa já tem, não tem, precisa ou não e se tem capacidade ou não de fazer o Inbound acontecer.

O QUE É INBOUND MARKETING?

O conceito foi amplamente difundido nos últimos anos pela Hubspot, uma startup americana que tem todas as ferramentas necessárias para aplicá-lo nas empresas da melhor forma possível. Ele se diferencia por se basear mais em atração direcionada do que em publicidade sem foco.

Por exemplo: distribuir panfletos de construtora no semáforo não é Inbound Marketing, pois gasta tempo, esforço e recurso (financeiro e físico) para fazer a propaganda para o público em geral, onde se inclui aquela pessoa que quer um novo apê, aquela que não tem o menor interesse nos negócios da construtora, aquela que está juntando dinheiro para viajar ou comprar um carro, e não uma nova casa, e aquela que nem na cidade mora, só para citar algumas “personas do semáforo”.

Com Inbound Marketing essa mesma construtora poderia planejar uma estratégia de marketing de conteúdo na internet com ferramentas que a ajudem a formar uma audiência de pessoas realmente interessadas no negócio. Segundo a Hubspot (e a Wikipedia), algumas dessas ferramentas de marketing de conteúdo são blogs, podcasts, vídeos, e-books, newsletters, whitepapers, melhorias em SEO e tudo o mais que você puder pensar, nos meios digitais, para qualificar um mailing interessante de potenciais consumidores.

Como disse ali no início, Inbound Marketing é um conceito alimentado por uma startup que teve toda a competência para desenvolver ferramentas de ajuda às empresas na hora de formatar o conteúdo, colocar à disposição na internet e captar o que se chamam leads, que são perfis válidos de quem realmente tem chance de comprar o seu produto ou serviço.

No entanto, na era da internet, para mim Inbound Marketing vai além de um conceito: é uma obrigação. Toda e qualquer empresa que presta serviços de marketing digital tem que ter planejamento, estratégia e foco para atingir os objetivos do cliente. Caso contrário, ela só estará “distribuindo panfletos no semáforo cibernético”, o que dá bem mais trabalho – e muito menos resultado.

QUEM PODE TER INBOUND MARKETING?

Basicamente, toda e qualquer empresa que queira formar uma audiência específica para vender seus produtos e serviços.

Se sua empresa tem ou quer ter um site, blog, páginas em redes sociais, ela pode ter Inbound Marketing.

Se sua empresa quer criar uma lista de e-mails de potenciais clientes para distribuir e-mail marketing, ela pode ter Inbound também.

Se seu negócio se divide em “times”, como dos estrategistas, dos especialistas em marketing, da galera de vendas, dos responsáveis pelo pós-venda, ele pode ter Inbound.

Se sua empresa tem ou quer ter presença digital, a melhor forma de não ser só mais uma marca nesse mundão de marcas é fazendo o marketing de atração, o marketing “personalizado”, que, voilá, também é conhecido como Inbound Marketing.

PRA FAZER INBOUND EU TENHO QUE CONTRATAR A HUBSPOT?

Não necessariamente. A Hubspot “inventou” o conceito e desenvolveu ferramentas que ajudam muito no processo, mas não é a única que bebe dessa fonte. Existem empresas brasileiras que fazem parceria com a Hubspot e têm à disposição todos os aparatos técnicos para implantar o Inbound Marketing dentro de uma organização.

CUSTA CARO FAZER INBOUND MARKETING?

Depende de quais são seus objetivos e resultados esperados.

A própria Hubspot tem pacotes que começam com $200/mês, em um plano básico de uso das ferramentas. Mas as ferramentas, claro, não se usam sozinhas: é preciso ter capital humano, intelectual, planejando as estratégias e aplicando tais estratégias dentro das ferramentas de escala.

Por exemplo: você pode querer 100 posts de blog por mês, com marketing de conteúdo, para gerar mais engajamento e material de SEO. As ferramentas não vão fazer esses textos, mas podem te ajudar a otimizar absurdamente cada um dos artigos.

Já vi orçamentos de pacotes Inbound que começavam com R$4.000/mês (já com ferramentas incluídas) e alguns passavam de R$16.000/mês. Se você quiser viver a experiência Inbound com agência especializada e ferramentas de uma boa empresa, como a Hubspot, prepare o bolso.

COMO SABER SE EU ESTOU COMPRANDO MESMO INBOUND MARKETING?

A primeira coisa que todo cliente deve exigir de uma agência que vende Inbound é o certificado de parceria com a Hubspot, que é a empresa que “gerencia” o conceito ao redor do mundo. Depois, verifique se todas as pessoas da equipe que vão te atender têm o certificado Inbound. Isso é importante porque o conceito é amplo e muita gente vai utilizá-lo sem saber direito se o trem é de comer ou de passar no cabelo MESMO.

O certificado digital de IM pela Hubspot é esse aqui:

inbound certified

(O certificado tem data de validade.)

Por fim, se você vai procurar por uma agência que vende Inbound, certifique-se de ter em contrato todas as metas dessa ação muito bem definidas. Ora, se for pra jogar pro alto e ver o que vai dar no final do ano, é só distribuir panfletos no sinal. O Inbound tem uma estrutura muito bem delineada de estratégias, objetivos e metas – ou, pelo menos, deveria ter. Exija esse comprometimento da agência em contrato.

O QUE É FUNIL DE CONVERSÃO?

Ao te apresentar o Inbound Marketing, as agências especializadas te mostrarão uma metodologia baseada no funil de conversão da sua empresa ou do mercado em que você atua.

Esse funil é um diagrama que mostra em que ponto da trajetória, do lançamento do produto à sua ida para a prateleira, o seu negócio pode estar perdendo clientes potenciais.

O funil não atua como via de regra, mas é um gráfico bem realista para entender problemas e gargalos da sua comunicação digital, do seu time de marketing ou do time de vendas. Aliás, o funil é quase que uma marca registrada do Inbound Marketing; sem ele, é bem possível que você não esteja comprando Inbound no sentido absoluto do conceito.

ESSE NEGÓCIO REALMENTE FUNCIONA?

Se levarmos em consideração o conceito, criado e gerido pela Hubspot, e vermos os números dos caras, concluímos que não tem como NÃO funcionar…

Captura de Tela 2014-12-17 às 15.44.12

Se tirarmos o marketing de atração e conteúdo do conceito do Inbound e levarmos ele para o espectro de “estilo de propaganda”, afirmamos com certeza que esse negócio funciona mesmo, porque o marketing direcionado e feito sob medida para cada um dos clientes é, só, o que todo consumidor sonha receber – e toda empresa sonha fazer. O que a Hubspot fez ao criar o conceito de IM foi tornar mais palpável, mais possível, a possibilidade de personalizar o seu conteúdo de acordo com as necessidades de cada potencial cliente, através das personas, e atingir em cheio os anseios de cada um deles, seja em número de 10 clientes ou 1.000.000.

O TWM FAZ INBOUND MARKETING?

Apesar de termos o certificado e estudarmos bastante o conceito, não somos e nem temos pretensão de ser, a curto prazo, parceiras da Hubspot. Então não posso te falar que fazemos o Inbound Marketing Conceito, esse que muitas agências (grandes) do país já fazem.

No entanto, a gente faz marketing direcionado, marketing de conteúdo, a gente tenta ao máximo atender às necessidades de cada cliente quanto a seus anseios, objetivos e metas.

(E nunca distribuímos panfleto no semáforo cibernético. :p )

ONDE POSSO LER MAIS SOBRE INBOUND MARKETING ANTES DE CONTATAR UMA AGÊNCIA?

Os blogs das agências parceiras têm muita informação.

Aliás, se a agência diz que faz IM mas não tem blog, corra, porque é cilada. Uma das ferramentas mais prezadas pelo conceito é justamente o blog, recheado com conteúdos que possam ajudar as pessoas a encontrar informações relevantes. Sem ele, é bem provável que não exista Inbound. E no maravilhoso mundo do marketing, se o santo de casa não faz milagre, melhor mudar de santo.

Eis aqui uma lista de onde você pode encontrar mais detalhes sobre IM, assinar newsletters e saber tudo:

Blog da Hubspot: pra quem quer estar por dentro de novas estratégias e ferramentas do Inbound Marketing, o blog da Hubs é a principal fonte de informação. Em inglês.

Blog da 5Seleto: foi na 5Seleto, agência de BH, que eu tive o primeiro contato com Inbound Marketing – e foi lá que eu tirei meu certificado. Agora eles estão se especializando na área e são, também, um dos principais parceiros brasileiros da Hubs. O blog promete entregar por e-mail a quem se cadastrar os textos mais intrigantes e revolucionários sobre o conceito Inbound.

The Moz Blog: em inglês, mas contém tudo e mais um pouco sobre Inbound Marketing aliado a dicas de SEO. Aliás, o blog da Moz é bom para todas as etapas de um bom marketing, desde a criação de personas até a alimentação de leads com bons conteúdos.

Content Marketing Institute: o conceito de marketing de conteúdo também é novo, apesar de sua prática ser mais velha que a serra. Para saber como se posicionar melhor através de textos, vídeos, whitepapers ou livros dgitais, leia o CMI, que é um dos principais canais do mundo sobre o tema. Também em inglês.

Blog da Distilled: é quase um portal de novidades do mundo do conteúdo digital e do Inbound Marketing. Tem tudo e mais duas coisas que você precisa entender se quiser dar os primeiros passos no marketing cibernético por conta própria.

E SE EU TIVER MAIS DÚVIDAS?

Aí deixa a sua pergunta nos comentários. Se a gente não souber responder, perguntamos a alguém que saiba e te ajudamos.

Pra finalizar, nossa dica é considerar o Inbound Marketing para 2015, mas não apenas como conceito, não apenas como uma junção de ferramentas absurdamente maravilhosas que vão fazer sua empresa escalar. Não pense em Inbound Marketing apenas como agência, como Hubspot, como pagamento em dólar.

Pense nele como marketing direto, marketing de conteúdo, marketing com cuidado. Principalmente esse último. Nós aqui na TWM acreditamos que todo mundo que zela por seus clientes, pela satisfação deles e pelo potencial de crescimento intelectual da empresa estão fazendo Inbound Marketing todos os dias, mesmo sem nenhuma ferramenta para chamar de sua.

Leia também...

Melhores posts

Deixe uma resposta